4 shares

Marketing de Conteúdo é a técnica de marketing que cria e distribui conteúdo de valor, relevante e consistente, para atrair e engajar uma audiência definida – com o objetivo de levar essa audiência a tomar alguma ação que gere retorno comercial ou institucional.

Numa época em que o tempo e atenção são escassos, poder falar com quem quer ouvir a nossa mensagem é um privilégio. Daí porque é importante um programa de Assessoria de Imprensa 2.0 e o Relacionamento com a Mídia. Ambos usam o conceito de Marketing de Permissão que é o privilégio (não o direito) de entregar mensagens antecipadas, personalizadas e relevantes para as pessoas que querem recebê-las (jornalistas e outros influenciadores – como blogueiros, por exemplo).

 

TIPOS DE MATERIAIS DE CONTEÚDO

Existe uma variedade de maneiras de você embalar seu conteúdo relevante. Cada uma delas ou combinação delas deve ser estudada para alcançar a audiência desejada. No caso da Mídia, mais especificamente da Imprensa, esses são os principais meios de entregar sua mensagem:

  • Press Kits
  • Artigos
  • Textos Opinativos
  • Newsletter
  • Email Marketing
  • Mídias Sociais
  • Eventos Presenciais
  • Estudos de Caso
  • Vídeos
  • Textos para Blog
  • White Papers
  • E-book
  • Infográficos
  • Relatório Anual
  • Relatório de Pesquisa
  • Análises de Mercado
  • Templates

 

MATRIZ DO MARKETING DE CONTEÚDO:

A First10 junto com a SmartInsights criaram uma Matriz de Geração de Conteúdo, que é uma ferramenta muito útil de planejamento que ajuda a gerar ideias para os diferentes tipos de conteúdo mais atraentes para cada público.

 

Matrix do Marketing de Conteúdo

 

Essa matriz está estruturada para ajudá-lo a refletir as dimensões dos diferentes conteúdos com base em como seu público pode pensar e o que você está tentando alcançar como um negócio.

  • Entreter
  • Inspirar
  • Convencer
  • Educar

O que funcionará onde seu público é mais ou menos impulsivo ou racional? O que isso significa para criação de conteúdo e metas de marketing? Dependendo do (s) quadrante (s) para o qual seu público é atraído, o mesmo oferece um ponto de partida para a geração de ideias.

A Matriz de Geração de Conteúdo Ajuda a identificar a importância de cada conteúdo:

  • Fornece um ponto de vista original
  • Educa enquanto diverte
  • Convida a acompanhar uma jornada
  • Tem essência capaz de influenciar, inspirar e instigar

 

Planejando a Comunicação

 

Você poderá orientar sua Comunicação de diferentes formas. Abaixo listamos 4 tipos de estratégia dirigida que podem ser usadas individualmente ou de forma combinada:

 

1). Por Segmentação da Audiência

O conteúdo que você distribui deve atrair jornalistas e influenciadores interessados fornecendo informações relevantes de acordo com sua proposta de valor. Mídia local, regional e nacional exigem diferentes propostas de valor, bem como publicações especializadas (técnicas) e de consumo de massa (público em geral), sejam eles veículos impressos, blogs ou programas de TV.

 

2). Possibilidade de Criar uma Comunidade

Com a recorrência da produção de conteúdo e com lançamento de materiais ricos (e-books, artigos, releases, infográficos etc) você engaja o público formador de opinião (jornalistas e influenciadores) que passam a dar mais atenção ao que você distribui. O crescimento dessa base de stakeholders será seu maior ativo. Se bem usada, pode ser uma ótima estratégia viral. E com o tempo você poderá até formar uma pequena comunidade.

 

3). Orientada por Custo/Benefício

Uma estratégia de Marketing de Conteúdo (AI 2.0 e Relacionamento com Permissão) pode ser até 60% mais barata do que uma campanha de marketing tradicional ou publicidade paga. Mantendo controle sobre o que é produzido e acompanhando as métricas adequadas, você poderá estabelecer diferentes tipos de conteúdo relevante por um valor justo.

 

4). Educação de Mercado

Essa é uma estratégia muito efetiva e de resultados duradouros. Produtos e serviços que jornalistas (especialmente nos veículos de massa) e influenciadores não estão acostumados a “comprar”, precisam ser explicados para gerar interesse. Além de gerar curiosidade, nesses casos este público precisa ser educado. Sua marca vira “escola”.

 

Desafios da Informação

 

Um dos maiores desafios da informação é elevá-la ao nível de notícia. E quando você deseja melhorar seu relacionamento com a mídia e influenciadores, o desafio do conteúdo relevante é ainda maior.

Descrição detalhada, elementos cronológicos, diferentes fontes, material explicativo, desdobramentos, consequências e impacto na realidade próxima, são partes essenciais na aproximação com esse público.

Às vezes é preciso usar temas laterais ou aqueles que você talvez pouco aborde como responsabilidade social, exclusão, deficiências.

Outras vezes a abordagem deve ser a relação com desenvolvimento, como o crescimento econômico, diminuição de riscos e melhoria de indicadores sociais, investimentos público x privado.

Para transformar sua informação em notícia é preciso que seu conteúdo apresente critérios de noticiabilidade.

A seguir você encontra uma relação dos principais critérios que poderá usar em seu material. Procure combinar no mínimo 3 ou 4 desses critérios em cada conteúdo que você disponibilizar:

  • Contextualidade
  • Completude
  • Precisão
  • Atualidade (ineditismo)
  • Interesse (curiosidade)
  • Interesse público
  • Tema atual ou relevante
  • Proximidade com o usuário
  • Notoriedade
  • Conflito
  • Surpresa
  • Utilidade como Prestação de Serviços
  • Disponibilidade (informação suficiente e sem restrição legal)
  • Exclusividade
  • Adequação

 

TEMAS PARA DIVULGAÇÃO/PROMOÇÃO

Vários temas poderão servir como base para a divulgação ou promoção junto à mídia, lembrando que todos eles devem ser analisados de acordo com os critérios de noticiabilidade:

  • Agendas (visitas, inaugurações etc)
  • Projetos (em andamento, protótipos, fase beta, fase final)
  • Visão geral de produto ou serviço
  • Iniciativas políticas ou econômicas
  • Campanhas e eventos
  • Contratação ou aumento significativo do quadro de funcionários
  • Lançamento de novo produto ou serviço
  • Anúncio de ampliação, aquisição ou fusão
  • Um crescimento no faturamento ou na base de clientes/usuários
  • Novos investimentos, resultados ou fatos relevantes
  • Conquista de uma nova conta ou aporte de capital
  • Ganhar atenção pelo desenvolvimento de uma nova tecnologia
  • Entrar em um novo mercado ou região não atendida
  • Reposicionamento da empresa
  • Adoção de uma nova estratégia de negócio
  • Comentário ou posicionamento diante de um contexto noticioso
  • Divulgação de resultados de pesquisa

 

O conteúdo precisa ter uma base, que pode ser por exemplo sobre Inovação, Sustentabilidade, Tecnologia ou Empreendedorismo. A informação pode ser usada para transformar um tema complexo em dicas simples que podem ser percebidas ou seguidas pelas pessoas.

O conteúdo pode ter outros objetivos também como:

  • Mostrar como ideias, produtos ou serviços inovadores resolvem problemas comuns
  • Articular de forma lógica uma ideia que está no ar
  • Inspirar as pessoas a agir de forma diferente
  • Dar uma visão de como vai ser o futuro ou ajuda a reinterpretar o passado de forma diferente
  • Trazer um ranking (de maiores, melhores etc)
  • Dar orientações de como economizar ou ganhar dinheiro
  • Despertar fortes emoções como alegria ou esperança

Parece óbvio, mas não é: todas as informações devem conter números, dados, datas e nomes. Parece incrível, mas existe muito conteúdo distribuído que é um excesso de blá-blá-blá.

Última dica: alinhe seu interesse com o interesse do influenciador que você deseja tocar. Seu material só vai ganhar espaço editorial se for relevante para o público do blog, revista, jornal, rádio ou TV, segundo o filtro de quem publica. 😉

 

Conclusão

 

Melhorar o relacionamento com a mídia, especialmente a imprensa, exige atenção e disciplina. É preciso olhar para dentro da organização antes de olhar para fora, reconhecendo seu potencial de informação e o quanto ele é relevante para o público, não para você.

É preciso também entender o ambiente da mídia, dos jornalistas e influenciadores. Não adianta nada insistir na “venda” de algo que nunca vão despertar o interesse desse público. A mensagem deve ser alinhada com o ambiente.

Por fim, é essencial que a interação com imprensa seja feito com o uso dos métodos convencionais e também das novas mídias. O ambiente de comunicação e relacionamento deve ser um verdadeiro laboratório com ensaios, simulação, auto avaliação e feedbacks.

 


Gostou disso? Compartilhe com os seus amigos!

4 shares

0 Comments

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *